Nesta edição do Rasgando o Verbo, Anselmo fala sobre evolução “dizem que o mundo está evoluindo”

Todo mundo diz que o mundo sofre mudanças, que o mundo está evoluindo. Eu acho que não, eu acho que o mundo está “involuindo”, ou seja, regredindo. Não sou saudosista, apesar de que eu tenho uma ponta de nostalgia. Houve uma época, não faz muito tempo, década de 1970, locutor de rádio tinha que ter voz, não era qualquer “zé mané” que chegava e sai falando.

Você já ouviu locutor de FM de hoje? Não parece que ele tem uma batata quente na boca? Você não entende o que fala. Enquanto que, muitos locutores fizeram história, como: Antônio Celso (Rádio Excelsior), Hélio Ribeiro (Rádio Bandeirantes), que apresentava o programa “Correspondente Musical”, com canções de vários países. Hoje, ainda temos bons locutores, mas são poucos e alguns ignorantes que falam o que não deve. 

Cinema da Home Schneider, de cowboy, estrelado por John Wayne, Yul Brynner, Charlton Heston, atores de verdade e atrizes lindas, como: Gina Lollobrigida, Claudia Cardinale. Naquela época as pessoas se vestiam decentemente, você não entrava nos clubes (não me refiro aos “risca faca”) de tênis, calça jeans. Para entrar no cinema, você precisava de um paletó. Ir à missa, então, as pessoas usavam a chamada “roupa de domingo”.

Hoje a moda é ter calça rasgada e as pessoas, especialmente as mulheres, pagam caro para ter uma peça dessa no armário. Isso é roupa de medingo. Outra coisa: tatuagem era coisa de prisioneiro que não tinha o que fazer e ficava desenhando frases de amor à família, Nossa Senhora Aparecida, caveiras, entre outras coisas. Hoje, é difícil você encontrar alguém que não tenha tatuagem porque virou moda. Antes era bonito fumar, agora é feio. Isso é evolução.

Estudo: imagina você mandar um bilhete para uma mulher que você está paquerando em um bar com aquela letra que ninguém entende. O que ela vai pensar? Este cara é analfabeto.É preciso ter letra bonita, falar direito. Hoje tudo é aceitável, tudo é moda, que é evolução. Isso é atraso, estudar não faz mal, se vestir bem não faz mal e falar direito, principalmente, não faz mal.